Florestas, os segredos e riquezas que o Brasil está queimando

 

Florestas, são organismos que desenvolveram – se ao longo de milhares de anos para chegar a um equilíbrio perfeito, em sua complexidade ancestral, muito além dos limites do entendimento humano. Desde as menores espécies até as arvores milenares, que podem chegar a 60 metros no Brasil, tudo está ligado, como uma magnifica orquestra.

Entre as capacidades extraordinárias que foram conferidas a esse sistema está a de regular o ciclo das águas, conservar o solo, resfriar e regular o oxigênio do ar, prevenir desabamentos e catástrofes climáticas, prover alimentos, remédios e manter a biodiversidade de plantas e animais.  Por essas razões, se você pensa, que um homem rico é aquele que tem saúde, alimentos  e contribui de forma positiva com seu mundo ( ou pelo menos que o homem que não possui essas coisas é pobre)  terá que chegar a conclusão que não há nenhuma riqueza maior para Brasil do que nossas florestas.

Benefícios da floresta para a vida humana

Este é um título com um visão um pouco arrogante do mundo. Afinal existem milhões de espécies nele e a floresta tem um propósito muito maior do que beneficiar uma delas. Minha intenção é mostrar que o homem, depende do meio ambiente assim como todas as demais, ainda que não se conscientize disso.  Alguns motivos:

  • O mero contato com florestas pode prevenir doenças como mostraram pesquisas desenvolvidas no Japão. Isso é um indicativo de que nosso corpo ( uma estrutura com complexidade além do que podemos imaginar, assim como as florestas) reage melhor em contato com a natureza.

https://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2013/10/cientistas-japoneses-afirmam-que-banho-de-floresta-combate-doencas.html

  • Florestas podem prover alimentos e matérias prima paras subsistência:

É possível se produzir alimentos com melhor qualidade, em grande escala, em sistemas agroflorestais ou permaculturais, que levam em consideração a preservação das florestas. O motivo é lógico, a planta é aquilo que ela suga da terra, e a terra é incomparavelmente mais cheia de nutrientes em uma floresta. O resultado de um plantio feito de forma harmônica com a natureza será um alimento muito superior em nutrientes, ao gerado pelas monoculturas do agrotóxico, ligados a diversas doenças, especialmente ao câncer.  Um belo exemplo é o caso de Ernest Gotsch que conseguiu transformar uma área pobre e desmatada em uma maravilhosa e produtiva agrofloresta.

Para aprender mais sobre agreofloresta você pode consultar a cartilha de Valter Steenbock e Fabiane Machado.

No Instituto Pindorama, nos ocupamos de ensinar técnicas para gerar energia, bioconstruir e extrair alimentos de forma harmônica com o meio ambiente, através de uma técnica chamada Permacultura, sobre a qual você pode aprender mais aqui. 

A aplicação da Permacultura permite economizar, proteger o meio ambiente e criar independência em relação ao governo e empresas.

Curso de Design em Permnacultura do Instituto Pindorama:   https://pindorama.org.br/curso/pdc-curso-de-design-em-permacultura

Livro: https://pindorama.org.br/produto/livro-permacultura-para-organizacoes-e-casas-ecologicas

 

  • Controle do ciclo hídrico:

Ao resfriar o ambiente, as florestas permitem que nuvens menores passem por um local o que torna possível as chuvas de menor intensidade. Essas chuvas recarregam as nascentes dos rios e quando frequentes tornam os solos mais aglutinados evitando deslizamentos. O desmatamento por sua vez, cria ilhas de calor impedindo as chuvas finas, aumenta o escoamento hídrico superficial, Reduz a infiltração da água no solo tornando ele vulnerável.

https://www.arvoresbrasil.com.br/?pg=aguas_florestas_relacao

 

Mas não é apenas nas regiões próximas as florestas que elas controlam o ciclo hídrico. A Amazônia por exemplo é tão grande e possui tantas arvores que gera um fenômeno que os estudiosos conhecem como rios voadores, levando imensas quantidades de água para outras regiões do continente.

https://riosvoadores.com.br/o-projeto/fenomeno-dos-rios-voadores/

  • Remédios

A alimentação e contato com as florestas podem prevenir a maioria das doenças, a pesquisa do que existe nela pode apontar a cura. Os remédios sintetizados devem ter seu descobrimento em algum corpo biológico. A chance de encontrar um reagente a alguma doença será maior em ambientes com milhões de espécies de animais e plantas dividindo o mesmo espaço, como ocorre com as florestas.  A verdade é que conhecemos muito pouco de nossas florestas e mesmo assim sabemos que existem milhares de plantas medicinais ainda não registradas nelas.

 

Por essas razões não resta duvida que florestas são uma grande riqueza para qualquer povo abençoado por te – las por perto. E entre todos os países, nenhum recebeu tantas riquezas quanto o Brasil. Nossas florestas  são imensas e registram o maior número de espécies animais e vegetais por metro quadrado no mundo.

 

“Os desmatamentos e queimadas para abrir novas frentes agrícolas, são resultantes, sobretudo, de uma enorme ignorância. Qualquer pessoa preserva seus bens de valor. Diferente do ouro,  os recursos florestais são bens renováveis, os lucros propiciados por estes recursos, quando bem manejados, podem ser inesgotáveis. (…) vale ressaltar que vários estudiosos, já demonstraram, por diversas teorias que, os lucros obtidos através de uma exploração racional , são mais compensatórios, principalmente a médio e longo prazo”  – Glauber Pinheiro,  “O uso múltiplo e racional das florestas tropicais”

Infelizmente o modelo desenvolvimentista adotado em terrar tupiniquins, visa criar uma nova natureza urbana ao invés de viver de forma harmônica com a que existe. A floresta desapareceu das vidas de grande parte da população brasileira em favor de um ambiente “higiênico e bem controlado” onde os únicos animais que sobrevivem naturalmente são ratos, pombos e baratas ( além de humanos) e, ao desaparecer, deixou de ser uma prioridade para a população e para o governo.

Para sustentar este estilo de vida, extraímos desenfreadamente da natureza para criar bens de consumo prescindíveis a nossa sobrevivência, esgotamos seus recursos hídricos e transformamos matas e rios exuberantes em pastagens para gado ou os aniquilamos para extrair metais preciosos sem sequer nos darmos conta do impacto que causamos, muitos milhares de km de onde estamos.

Mesmo ignorando todas as centenas de espécies covardemente assassinadas nesse percurso, e escolhendo olhar o lado estritamente econômico da destruição, o prejuízo é inestimável.

Queimando árvores e dinheiro

Quando é o governo que interfere nas florestas, o faz sempre com algum interesse por trás, o prejuízo para os cofres público é de bilhões e normalmente acompanhado de um fiasco. É o caso de Belo Monte, uma obra que custou 20 bilhões ( 100 reais por brasileiro para efeito de comparação) e de onde segundo delatores da operação lava jato PT e PMDB embolsaram cerca de 200 milhões em propina e das recentes MPs 756 e 758 de autoria da “presidência” da república, aprovadas sem qualquer debate com a população, como pagamento à bancada ruralista pelos votos em favor da não investigação dos crimes atribuídos ao próprio “presidente”, que reduziriam a proteção a 600 mil hectares de floresta ( talvez a maior redução desse tipo já feita), além de legalizar terras desmatadas criminosamente.

Trocando em miúdos, espécies inteiras estão desaparecendo pelas mãos de bandidos para que um corrupto não seja investigado. Impossível para qualquer pessoa de bem, não se revoltar.

O Brasil já vivenciou diversas epidemias, falta de água ( apesar de ser o país com mais água do mundo), de alimentos ( apesar de ser um dos países com mais terras produtíveis do mundo) e desequilíbrios ambientais de diversos tipos ( apesar de naturalmente não haverem por aqui furacões, terremotos ou tsunamis). Como calcular a influência que nosso uso irracional dos recursos florestais teve nesses eventos e seus prejuízos? Como calcular o prejuízo da perda de uma biodiversidade que não pode ser reconstruída?  A perda é simplesmente muito grande para ser calculada.

“O grande chefe de Washington pode acreditar no que o chefe Seattle diz com a mesma certeza com que nossos irmãos brancos podem confiar na mudança das estações do ano.

(…)Como pode-se comprar ou vender o céu, o calor da terra? Tal idéia é estranha. Nós não somos donos da pureza do ar ou do brilho da água. Como pode então comprá-los de nós? Decidimos apenas sobre as coisas do nosso tempo. Toda esta terra é sagrada para o meu povo.

Sabemos que o homem branco não compreende o nosso modo de viver. Para ele um torrão de terra é igual ao outro. Porque ele é um estranho, que vem de noite e rouba da terra tudo quanto necessita. A terra não é sua irmã, nem sua amiga, e depois de exaurí-la ele vai embora.

Não se pode encontrar paz nas cidades do homem branco. Nem lugar onde se possa ouvir o desabrochar da folhagem na primavera ou o zunir das asas dos insetos. O ar é precioso para o homem vermelho, porque todos os seres vivos respiram o mesmo ar, animais, árvores, homens. Não parece que o homem branco se importe com o ar que respira. Como um moribundo, ele é insensível ao mau cheiro.

O que é o homem sem os animais? Se todos os animais acabassem os homens morreriam de solidão espiritual, porque tudo quanto acontece aos animais pode também afetar os homens. Tudo quanto fere a terra, fere também os filhos da terra.

Causar dano à terra é demonstrar desprezo pelo Criador. O homem branco também vai desaparecer, talvez mais depressa do que as outras raças. Continua sujando a sua própria cama e há de morrer, uma noite, sufocado nos seus próprios dejetos.” Cacique Seatle em carta a Washington, 1855. https://www.culturabrasil.org/seattle1.htm

Como começar a mudar essa situação?


Por mais complexas, majestosas e incríveis que as florestas sejam, elas são indefesas frente a ação humana. Há uma gigantesca pressão do mercado pela produção massiva e exploração de terras que ignora completamente o meio ambiente. É um paradoxo, pois a população que anseia por consumir desenfreadamente, será afetada pelas catástrofes, doenças e males que essa destruição causará.

É preciso mudar. A arquitetura das cidades precisa mudar para torna – las harmonizadas com o meio ambiente. Esse debate é o eixo central do Festival da Sustentabilidade que o Instituto Pindorama organiza entre os dias 7 e 10 de Setembro.

Festival da Sustentabilidade

O governo precisa mudar. Precisamos eleger governantes que tenha sensibilidade e honestidade suficientes para proteger nossa floresta do mercado, ao invés de associar – se ao mercado para vende – la.

Igualmente cada um de nós precisa mudar. Progressivamente se desligar de um sistema baseado em consumo, migrar para uma vida mais simples em harmônia com o meio ambiente. É possível, alias, imprescindível aplicar conceitos da Permacultura mesmo vivendo no ambiente urbano.

Constituição Federal de 1988 no art. 225: “Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.”

Alguma atitudes que você pode tomar para diminuir o impacto no meio ambiente.

Cobre do seu governo a criação de parques e unidades de preservação, fiscalize e denuncie ao INEA e ao Ministério Público a invasão de áreas de proteção permanente ( lembre – se que todos os rios tem no mínimo 30 metros de margem protegidas dessa forma) e cortes de árvores sem autorização.

Apoie Instituições que defendem o meio ambiente

Apoie candidatos que tenham histórico na defesa do meio ambiente e que tenham isso como prioridade.

Troque produtos descartáveis por produtos reutilizáveis, por exemplo sacolas e copos.

Participe de grupos de reciclagem.

Tenha uma composteira

Prefira produtos sem agrotóxicos pois o Brasil é o maior utilizador desses venenos no mundo e eles contaminam a água e o solo, muitas vezes por quilômetros matando animais e causando malefícios aos humanos.

Plante, na sua casa, no seu apartamento, no seu terreno, na rua, onde você puder.

Reduza a quantidade de carne que você consome pois 60 por cento da Amazônia desmatada é utilizada para gado de corte.

 

Quer saber mais?

https://www.youtube.com/watch?v=GWmmrgQUXh4 O documentário mostra um olhar sobre a Amazônia, suas relações e como ocorre o desmatamento e está disponível no youtube.

Aconteceu na floresta Trailler: https://www.youtube.com/watch?v=CCk4AaSqi40 Esse documentário maravilhoso mostra como as florestas se formam ao longo de milhares de anos, as comunicações secretas das árvores e a resistência silenciosa à ação humana.

O que são unidades de conservação: https://www.oeco.org.br/dicionario-ambiental/27099-o-que-sao-unidades-de-conservacao/

O que é uma APP: https://www.oeco.org.br/dicionario-ambiental/27468-o-que-e-uma-area-de-preservacao-permanente/

O que é o código florestal: https://www.oeco.org.br/dicionario-ambiental/28574-o-que-e-o-codigo-florestal/

Sobre o desmatamento na Amazônia:

https://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2017/01/desmatamento-na-floresta-amazonica-cresceu-30-em-2016.html

https://www.inpe.br/noticias/noticia.php?Cod_Noticia=4344

Google, descubra sua conexão com a floresta:

https://earth.google.com/web/data=CjYSNBIgN2IxOGI1NTcyYjRhMTFlN2E5MGIxZmI3OTk1MDNkMmUaEEV1IFNvdSBBbWF6w7RuaWE

Instituto Pindorama - Todos os direitos reservados
Share This